Recomendação pelo reconhecimento da importância do papel da Associação de Moradores do Bairro Padre Cruz aprovada por unanimidade

Os deputados Municipais dos Cidadãos por Lisboa apresentaram hoje uma recomendação em sessão de Assembleia Municipal de Lisboa pelo reconhecimento da importância do papel da Associação de Moradores do Bairro Padre Cruz [AMBPC].
Recomendação 027/08 – Pelo reconhecimento da importância do papel da Associação de Moradores do Bairro Padre Cruz
26-06-2018

Agendada: 26 de Junho de 2018
Debatida e votada:26 de Junho de 2018
Resultado da Votação: unanimidade
Passou a Deliberação:
Publicação em BM:

Pelo reconhecimento da importância do papel da Associação de Moradores do Bairro Padre Cruz

Considerando:

1 – O papel que as associações têm como parceiras estratégicas para a intervenção social da Câmara Municipal de Lisboa (CML) em inúmeras localizações e bairros da cidade, pela sua privilegiada relação de proximidade com a população.

2 – A importância da Associação de Moradores do Bairro Padre Cruz (AMBCP) no trabalho que desenvolve nas questões do realojamento do Bairro e na vida da comunidade.

3 – Que a AMBCP tem vindo a promover uma “Cantina Solidária”, há mais de três anos, com o
cofinanciamento da CML, através de candidaturas vencedoras ao abrigo do Regulamento de Atribuição de Apoios pelo Município de Lisboa (RAAML), na vertente de desenvolvimento comunitário, nas instalações da Escola EB23 , do Bairro Padre Cruz, em direta parceria com a Direção do Agrupamento de Escolas local.

4 – Que esta “Cantina Solidária” se destina a suprir as necessidades alimentares das pessoas em situações de vulnerabilidade sócio-económica através da disponibilização de refeições quentes, nomeadamente jantares, com frequência diária, (incluindo feriados), ainda que excluindo fins-de-semana, por serem esses os dias em que o Agrupamento de Escolas cede o espaço, mediante protocolo estabelecido entre as duas entidades e que termina no dia 30 de Junho.

5- Que após 759 dias de funcionamento se registaram 72.428 refeições servidas, no âmbito desta resposta solidária, sendo que parte recebe a sua refeição em casa, porque foi constituída uma equipa de voluntários que a entrega ao domicílio, na situação em que os destinatários são pessoas com graves problemas de mobilidade, ou de debilitado estado de saúde.

6 – A importância desta particular resposta de intervenção social, tão pertinente e tão presente nesta comunidade.

7- A falta de apoio da CML na edição deste ano do RAAML, pelo Departamento dos Direitos Sociais da CML sob a tutela do Vereador Ricardo Robles, ao projecto “Cantina Solidária”, candidato na área de intervenção comunitária. Situação aliás que certamente será partilhada com muitas outras associações e entidades da área da intervenção social e desenvolvimento comunitário, dado que o valor total de apoio dado pelo RAAML irá baixar de acordo com o que temos conhecimento de cerca de 1,5 milhões de euros para 200 mil euros, da última edição em 2017 para esta edição em 2018.

8- Que paralelamente a esta questão carece e urge conseguir obter um espaço próprio para a AMBPC levar o cabo o projecto “Cantina Solidária”, permitindo dessa forma alargar os serviços e consequentemente o número de beneficiários.

Os Deputados Municipais Independentes do Movimento Cidadãos Por Lisboa,
Joana Duarte
Miguel Graça
José Alberto Franco
Ana Gaspar
Maria Teresa Craveiro