Proposta 467/07 – CRUZAMENTO PERIGOSO ALTO LUMIAR

Apresentada: 8 de Novembro de 2007
Agendada: 10ª Reunião, 14 de Novembro de 2007
Destino: a proposta foi adiada sendo novamente apresentada na 11ª reunião, em 21 de Novembro de 2007, e retirada pelo proponente dado o vereador Marcos Perestrello informar que os serviços consideravam desadequada a hipótese de rotunda, tendo proposto uma solução semafórica.

Posteriormente, solicitou-se o reagendamento da mesma proposta, considerando que foi aprovada pelos deputados da Assembleia Municipal, em 21 de Outubro de 2008, a seguinte recomendação à Câmara Municipal de Lisboa, proposta pelos deputados do CDS-PP:
1- Informe se existe um projecto de ordenamento de tráfego no referido cruzamento e qual a data prevista de início e conclusão.
2- Providencie, de imediato, uma solução temporária que minimize os acidentes.

Pedido de Reagendamento: 22 de Outubro de 2008

Proposta
Considerando que no cruzamento da Av. Helena Vaz da Silva com a Rua Arnaldo Ferreira, no Alto do Lumiar, confluem dezoito faixas, provenientes de cinco vias, cuja geometria implica um cruzamento muito distendido, o que provoca atravessamentos muito longos – devido à velocidade reduzida a que têm de ser feitos – passíveis de provocar acidentes por problemas de visualização (é, para o condutor, impossível visualizar o trânsito proveniente de todas as faixas em simultâneo) ou por excesso de velocidade de quem entra no cruzamento com prioridade – como acontece frequentemente.

Considerando que este ponto constitui actualmente um dos locais de maior risco de acidente rodoviário de toda a zona;

Considerando que, pelo nó em causa, passa presentemente grande parte do fluxo rodoviário que se dirige tanto para a 2ª Circular como para a zona da Quinta do Lambert (designadamente para o Colégio de S. Tomás);

Considerando que existe já um estudo rodoviário efectuado por uma empresa da especialidade, do qual a UPAL (Unidade do Projecto do Alto do Lumiar) possui uma cópia, e que propõe a construção de uma rotunda como forma de resolução deste problema.

Considerando que, ainda que os terrenos do Parque das Conchas – o qual foi recentemente objecto de um projecto de requalificação – se situem na envolvente deste nó rodoviário, aquele espaço verde deve ser preservado na sua integridade, sem alterações ou amputações.

Proponho:
1.Que os serviços competentes estudem uma solução para o cruzamento em causa, com o objectivo de garantir a segurança de quem ali circula.
2.Que os serviços competentes analisem a possibilidade de adoptar, como solução para a circulação nesta intersecção, a criação de uma rotunda, solução contida no estudo acima referido.
3.Que, como condição para a viabilização da solução rotunda, se não se coloque em causa a preservação da integridade dos terrenos do Parque das Conchas.