Aumento de consumos no Vale de Alcântara

É inadmissível que este executivo municipal continue a ter uma atitude passiva face à atual situação de emergência, optando por não fazer os necessários investimentos próprios que permitam a curto prazo dar resposta a esta crise e ao sofrimento dos nossos concidadãos.

Alertámos, há dois anos, para a necessidade de «Dar continuidade à medida política de disponibilizar à população com consumos uma sala de consumo vigiado no vale de Alcântara» – proposta subscrita pelo BE e aprovada por unanimidade, lembrou hoje a vereadora Floresbela Pinto na reunião da câmara municipal.

Mesmo assim, esta foi mais uma proposta que ficou na gaveta, sem resposta nem capacidade de execução por parte dos Novos Tempos, apesar das insistências sobre o assunto e do reconhecido aumento de consumos de droga na região, objeto de recente pedido de intervenção urgente pelas associações que intervêm no terreno e pelos presidentes de junta de Campo de Ourique e Alcântara.

Sublinhando o que defendemos sempre: é preciso que Lisboa retome o seu plano de intervenção e continue a diversificar respostas, de forma complementar, tanto no acompanhamento como na prevenção de consumos. É inadmissível que este executivo continue a ter uma atitude passiva face à atual situação de emergência, optando por não fazer os necessários investimentos próprios que permitam a curto prazo dar resposta a esta crise e ao sofrimento dos nossos concidadãos. Ontem já era tarde.